caixaeletronico.png

Abusos Bancários

  • Juros abusivos bancários

Os Juros Abusivos acontecem, quando bancos e financeiras, cobram de seus clientes taxas muito acima da média de mercado apurada belo Banco Central do Brasil. Quando este índice está pelo menos uma vez e meia acima da média BCB, pode-se afirmar que está configurada a abusividade, o que permite a revisão contratual. Fique atento, em praticamente todos os casos, o percentual da taxa de juros informado pelo vendedor no momento da compra do veículo não coincide com a taxa real, desta forma, o valor da parcela pode estar muito acima do correto. Faça uma análise gratuita e saiba exatamente o quanto foi cobrado além do devido em seu contrato! Os cálculos e perícias que fazemos aqui na SEUcálculo são extremamente precisos, considerando que nossos serviços são realizados por um time de especialistas.

  • Empréstimo consignado

Você já foi assediado por bancos e financeiras com ofertas de emprés6mos? Aposentados e pensionistas, especialmente os de baixa renda, vivem atualmente um verdadeiro drama financeiro, que, não raramente, tem como causa o excesso de empréstimos. O total das dívidas com crédito consignado junto ao INSS bateu recorde em 2019, ultrapassando a marca de R$ 138 bilhões, 11% mais que no ano anterior, segundo publicado pelo jornal o Estado de São Paulo em 05 de fevereiro de 2020. O que as autoridades parecem ignorar, é a forma como as Instituições Financeiras operam neste mercado. Há indiscutivelmente uma ATUAÇÃO PREDATÓRIA das Financeiras, que, aproveitando-se da situação de HIPOSSUFICIÊNCIA dos aposentados e pensionistas, fazem ofertas imorais e ilegais de empréstimos, transmitindo equivocadamente a impressão de que o empréstimo vai melhorar sua situação, quando na verdade, é justamente o excesso de empréstimos que coloca esse público em condição de SUPERENDIVIDAMENTO. O limite que o aposentado ou pensionista pode comprometer de sua renda com empréstimos é de no máximo 30%, conforme estabelecido no Art. 1º, §1º, da Lei nº 10.820/03, ocorre que, as Ins9tuições Financeiras, em muitos casos não respeitam esse limite, o que faz nascer ao segurado o direito de revisão e restituição de cobranças indevidas. 

  • Cartão de crédito consignado

Cartão de Crédito Consignado – Além do assédio e oferta de empréstimos abusivos, outra prática lesiva comum entre as Financeiras, que deve chamar à atenção de aposentados e pensionistas, é o “Golpe” do cartão consignado, ou seja, Imaginando estar realizando um empréstimo, a vítima, na verdade, em razão da dissimulação da Instituição financeira, contrata um cartão de crédito, no qual tomou o capital pretendido através de saque no sistema rotativo, passando a ser cobrado com o desconto apenas do valor mínimo da fatura, valor este, que é descontado do seu benefício mensalmente por tempo indeterminado, gerando aumento exponencial da dívida, que, na prática, torna o segurado eterno devedor. Para saber se os seus empréstimos estão dentro da margem, ou se há alguma ilegalidade que possa ser reparada, contate-nos imediatamente, faremos uma análise gratuita em seus contratos!

  • Limitação de 30% dos descontos no rendimento

As instituições bancárias, algumas vezes, acabam celebrando contratos de empréstimos com os servidores públicos e trabalhadores da área privada – INSS, e cobram as taxas de juros dentro da média de mercado estabelecida pelo Banco Central do Brasil. Todavia, mesmo agindo assim, os bancos, inúmeras vezes, em empréstimos celebrados com desconto em conta corrente e na folha de pagamento, promovem descontos superiores a 30% dos rendimentos líquidos, causando inúmeros transtornos de ordem patrimonial, além de ferir a própria dignidade da pessoa como ser humano, o que é, em regra, vedado pela legislação e pelos Tribunais de Justiça. A Lei n. 10.820/03, que é incidente sobre os trabalhadores da área privada, mas também pode ser aplicada a servidores públicos. Dessa forma, a princípio, os bancos só podem aprovisionar valores no importe de 30% da remuneração líquida do tomador.